Skip to content

A Assessoria jurídica é importante para evitar prejuízos na empresa

A assessoria jurídica é um tema cada vez mais popular no meio empresarial, por isso escrevemos este artigo para você, empresário, para que possa decidir e analisar sobre obter suporte profissional para enfrentar os mais diversos desafios em sua empresa.

A verdadeira vantagem está na dúvida.

Atualmente, existe uma experiência peculiar em todo o mundo e, segundo os especialistas, espera-se que essa experiência mude a forma como olhamos as coisas.

Acontece que, com o isolamento, a alienação social e os relacionamentos virtualizados, as necessidades são reexpressas e tudo está mudando rapidamente, inclusive a lei.

Portanto, se os serviços de consultoria antes da advocacia preventiva trouxeram enormes benefícios aos seus apoiadores, agora, tais visitas têm se mostrado necessárias para que a empresa evite que erros nas relações jurídicas se transformem em perdas financeiras futuras em procedimentos judiciais ou administrativos.

O verdadeiro impacto do novo coronavírus na economia, relações de trabalho, direitos individuais e coletivos permanece desconhecido. Portanto, prevenção, informação e planejamento são candidatos poderosos para se tornarem a “receita secreta” para a sobrevivência em uma crise.

São mais de 500 projetos de lei normativos contra a COVID-19, apenas na esfera federal. É inegável que a pandemia teve forte impacto sobre os profissionais do direito.

Portanto, se você, como milhares de brasileiros, tem dúvidas sobre as diversas medidas provisórias, decretos e outros atos normativos frequentemente veiculados pela mídia, continue lendo este artigo para descobrir as vantagens do amparo jurídico diante do atual coronavírus crise.

O que é a assessoria jurídica?

Antes de continuar a leitura, convido você a fazer uma pequena reflexão:

Em cenários comuns onde não há crise epidêmica, quantas vezes você já se deparou com emergências que exigem conhecimentos jurídicos específicos na gestão do seu negócio? Fornecedores que violaram o contrato; clientes insatisfeitos que alegaram ter sofrido dor e tortura; funcionários repetidamente ausentes do trabalho sem motivo; e até mesmo a necessidade de reestruturação corporativa, como compra e venda de ações.

Claro, você ainda se lembra de situações semelhantes que experimentou. E, para ser sincero, neste caso, a equipa técnica profissional dominada pela sua empresa terá um papel importante.

Para se manter competitiva, a empresa tem vindo a tomar uma série de medidas para aumentar a sua visibilidade e credibilidade de forma a mostrar a sua atratividade para investidores e clientes. Portanto, aumente sua liquidez.

Marketing, segurança do trabalho, implementação de compliance, proteção ao meio ambiente, contratação de consultores jurídicos, contábeis e até de relações públicas são algumas das estratégias para as empresas manterem sua posição de liderança no mercado.

No que se refere à consultoria jurídica, trata-se de um serviço prestado por um ou vários advogados com conhecimentos nas diversas áreas do direito, prestando apoio técnico de longa duração para a resolução de processos ou conflitos em ambiente empresarial.

Enfatizamos não confundir consulta com assessoria. Isso porque na consulta, é necessário contratar um advogado para analisar casos específicos, enquanto na assessoria esse suporte é mais completo e pode fornecer resultados para problemas gerais.

A prestação deste serviço em ambiente corporativo é essencialmente preventiva, trazendo segurança jurídica à execução das atividades empresariais.

Quais as reais vantagens da contratação de uma assessoria jurídica?

Com apoio jurídico, os empresários são nomeados por advogados que, perante casos concretos, levantam diversas situações e os riscos que cada decisão pode trazer para a empresa.

O gestor passou a ter mais segurança no processo de tomada de decisão e poderá tomar decisões com mais rapidez.

Além disso, a assessoria jurídica oferece melhores condições para a empresa implementar políticas internas, seja: em termos de política e privacidade; para registro de produto ou marca; para elaboração de regulamentos ou planos internos (PCCS) de cargos, ocupações e salários.

Também há uma grande economia em termos de recursos.

Os fatos comprovam que, ao longo do tempo, os hábitos corporativos sofreram mudanças consideráveis, desde a administração até os funcionários de escalões inferiores, reduzindo os erros e falhas que costumam expor a empresa a riscos jurídicos e a indenizações excessivas.

Quando falamos em reclamações trabalhistas, a redução no contencioso é ainda mais pronunciada.

Diante do conhecimento jurídico que a equipe de assessoria traz para a empresa, os gestores e líderes estão mais conscientes de como usar adequadamente o poder de comando da organização — em termos de recrutamento, organização, punição e dispensa de subordinados.

Economia

Outra economia é que, por meio da consulta jurídica, as despesas da empresa se concentram no caso de apenas um advogado. Isso ocorre porque, mesmo quando o conselho é fornecido por uma equipe de advogados, geralmente é na forma de um único contrato, como um pacote de serviços.

Portanto, ao comparar os honorários de vários advogados que atuam em nome da empresa, em casos individuais, o aconselhamento jurídico pode economizar mais dinheiro.

Vale lembrar que a consultoria proporciona uma relação mais estreita entre o advogado e a empresa, além de proporcionar aos profissionais mais conhecimento da atividade empresarial, para que possam atuar com mais eficácia.

Por exemplo, considere uma empresa do setor industrial. Desde a compra de matéria-prima até a venda de produtos, existem regras específicas para administrar tudo. A relação jurídica com fornecedores, clientes e o país (por meio de tributação) tem certas características. Em consulta, os advogados procuram enfocar essas e outras variáveis jurídicas que podem interferir nas atividades de negócios. Portanto, pode estudar melhor as necessidades da empresa em profundidade e melhorar a qualidade de salvaguarda dos interesses dos clientes.

Por fim, vale lembrar que no caso da consulta ativa, na consulta jurídica, os profissionais apenas apontarão soluções para o caso em análise, não interferindo na execução da ação, cabendo ao jurídico da empresa departamento. representar.

Figura 2: Contrato impresso e oferta de caneta para assinar.

O preventivo de hoje, evita o problema de amanhã

É um momento delicado em que o conceito de prevenção adquire extraordinária importância, inclusive no setor empresarial, seja por ser a principal medida de contenção da epidemia — que reflete a retração econômica — seja porque toda decisão do gestor administrativo deve ser imediata. , Correto, afeta o futuro da empresa.

Na luta pela sobrevivência de pessoas, empregos e empresas, os empresários já enfrentaram as chamadas consequências jurídicas causadas pela COVID-19, muitos já perceberam que é hora de buscar ajuda profissional.

Se a incerteza inerente à situação não for suficiente, o oceano de informações causará mais suspeitas do que soluções.

Responder às incertezas do mercado e acompanhar todas as mudanças legislativas não são tarefas fáceis, o que mostra que todo o suporte da consultoria jurídica é fundamental para que a empresa se mantenha ativa e evite riscos e perdas nas atividades empresariais.

Para um melhor entendimento, suponha que estejamos falando sobre sua saúde, não sua empresa.

Prevenção, melhora a imunidade com prudência. Ao procurar imunidade pessoal, os especialistas em saúde recomendam uma boa nutrição, exercícios e sono. Pode-se observar que medidas preventivas.

Quando desenvolvemos hábitos saudáveis, muitas doenças podem ser evitadas. E a mesma coisa acontece quando falamos em assessoria jurídica.

O papel da lei na consultoria jurídica torna-se mais importante porque produz melhores escolhas e planos de ação para garantir a saúde corporativa.

Pandemia e as Relações Trabalhistas

Talvez a questão mais preocupante neste momento seja a questão dos direitos trabalhistas, pois a maioria das empresas tem que interromper o trabalho presencial e manter a nova postura.

As empresas enfrentam um impasse entre tomar medidas para manter o contrato de trabalho e mudar o contrato para trabalhar em casa, dar férias, reduzir a jornada de trabalho e salários ou dispensas em massa.

Para a elaboração de um acordo de alteração do contrato de trabalho, é necessária uma fiscalização jurídica de qualidade, pois qualquer lacuna pode gerar processos trabalhistas astronômicos.

O mesmo entendimento deve ser aplicado para determinar o trabalho remoto de seus funcionários, escritório doméstico.

Além disso, as empresas devem seguir cuidadosamente as medidas de emergência, proteger os trabalhadores, evitar o risco de infecção por vírus e controlar o fluxo de passageiros e limpar as instalações.

Vale ressaltar que os governos federal, estadual e municipal orientam os trabalhadores considerados setores de serviços essenciais, que estabelecem as medidas de segurança adequadas para evitar infecções e devem ser seguidas.

Os fatos comprovam que devido a tantas preocupações com a manutenção das atividades empresariais, alguns empregadores têm se esquecido de proteger a entrega de equipamentos de segurança e evidências das condições normais de trabalho, tais como: documentos ou fotos do local.

Por meio de consultoria jurídica, a empresa pode trabalhar com seus advogados para regulamentar a distribuição e entrega de equipamentos de segurança e evitar futuras reclamações trabalhistas.

Sua empresa não tem apoio jurídico? É a melhor hora para começar

As mudanças regulatórias em resposta à crise enfraqueceram as relações jurídicas.

Estes são os benefícios, direitos e obrigações que são supervisionados durante este período especial. Isso requer uma correta interpretação dos regulamentos e leis, e é claro que para as empresas que ainda não obtiveram aconselhamento jurídico, este é o melhor momento para começar a ter adendo.

Com a cessação do comércio e a redução drástica nas vendas, a tendência é que a liquidez da empresa primeiro seja baixa.

Em segundo lugar, devido ao fornecimento insuficiente de matérias-primas, como matérias-primas importadas, as empresas enfrentarão um maior índice de inadimplência, o que aumentará os litígios, as perdas e as crises financeiras.

Portanto, a renegociação de acordos administrativos e contratos obrigatórios é uma solução possível para evitar a inadimplência das empresas, mas não é aconselhável fazê-lo sem o acompanhamento jurídico.

Outra opção é realizar transações societárias, como compra e venda de ações, fusões, constituição de sociedades ou joint ventures, que também requerem suporte jurídico de alta qualidade.

Sabemos que muitas decisões envolvendo tais transações são estritamente econômicas e gerenciais, mas as consequências jurídicas não podem ser evitadas, por isso a assessoria jurídica se tornou tão importante para a sobrevivência das atividades empresariais em crise.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário, recomende e compartilhe.

Dr. Adriano Hermida Maia (LinkedIn)

Advogado e sócio do escritório Hermida Maia, Docente, especialista em Crimes Digitais, Pós-Graduado em Processo Civil, Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, MBA em Contabilidade & Direito Tributário com ênfase em risco fiscal.

Visite nosso site: https://hermidamaia.adv.br

Comentários